quarta-feira, 29 de maio de 2019

Por que é importante saber idiomas?

Apesar de não ser poliglota, sou fascinada por aprender novos idiomas! Acho tão importante saber falar outras línguas, compreender a cultura de outros países através do idioma... Mas, você sabe como essa sabedoria pode te ajudar a ir mais longe? Vem comigo!

Although I am not multilingual, I am fascinated in learn new languages! I find it so important to know how to speak other languages, to understand the culture of other countries through the language... But, do you know how this wisdom can help you to go further? Come with me!


Minha mãe me matriculou no curso de Inglês quando eu tinha uns 10 anos. Ela sempre falava que era importante eu saber o idioma, uma vez que ela não teve essa oportunidade. Já adulta, aos 19, me matriculei novamente em um curso, só para dar uma relembrada e reforçar os antigos conhecimentos. 
Aos 29, enquanto eu morava no Japão, resolvi aprender Japonês, língua que sempre me fascinou e, aos 36, comecei a estudar Francês - sozinha mesmo! Este ano, comecei a tentar aprender o Mandarim (também sozinha), mas a única coisa que entrou em minha cabeça até agora é "Ni hao, wo jiao Priscila"(Olá, me chamo Priscila)! 
Há livros muito bons e também cursos gratuitos na internet, que ajudam bastante quem deseja aprender idiomas pelo método autodidata. É só fazer uma boa pesquisa que você encontra!

Saber falar outro(s) idioma(s) é muito importante, tanto para a vida profissional quanto para a pessoal. No meu caso, saber Inglês me ajudou durante minha viagem ao Japão (pois eu não sabia nada de kanji, katakana ou hiragana quando cheguei lá). Apesar de o Japão ser um país que honra muito sua língua (os japoneses quase não falam o Inglês), as placas espalhadas pelo país contêm também o outro idioma, o que facilita muito para que você não se perca, pegando a direção errada!


My mother enrolled me in the English course when I was about 10 years old. She always said that it was important for me to know the language, since she hadn't the opportunity. As an adult, at 19, I enrolled again in an English course, just to give a reminder and reinforce the old knowledge.
At 29, while I was living in Japan, I decided to learn Japanese, a language that always fascinated me and, at 36, I started to study French - alone. This year I started trying to learn Mandarin (also on my own), but the only thing that came into my head so far is "Ni hao, wo jiao Priscila" (Hello, my name is Priscila)! There are very good books and also free courses on the internet, which help those who wish to learn languages ​​by the self-taught method. Just do a good search and you find!
Knowing how to speak other language is very important for both professional and personal life. In my case, knowing English helped me during my trip to Japan (because I didn't know anything about kanji, katakana or hiragana when I got there). Although Japan is a country that honors its language (the Japanese almost don't speak English), nowadays the plates spread throughout the country also contain the other language, which makes it much easier for you not to get lost, taking the wrong direction!

Além disso, não é maravilhoso quando você ouve uma música e entende a letra? Ou quando você assiste a um filme e sequer precisa ler a legenda com a tradução? Não te traz uma sensação de felicidade? 
Tenho o hábito de sempre assistir filmes e séries sem a legenda, com o som em Inglês, ou com a legenda no idioma que desejo aperfeiçoar. Também tenho paixão por adquirir livros em outras línguas! Li o livro "Como eu era antes de você" em Inglês e amei!


Also, isn't wonderful when you hear a song and understand the lyrics? Or when you watch a movie and don't even need to read the translation? Doesn't it bring you a sense of happiness?
I have a habit of always watching movies and series without the caption, sound in English, or the caption in the language I want to learn. I also have a passion for acquiring books in other languages! I read "Me before you" in English and loved it! (My oficial language is Portuguese)


No momento, estou aprendendo Francês neste livrinho, que é ótimo:
At the moment, I'm learning French with this little book, which is great:
Saber idiomas não só abre as portas para um mundo novo, mas também faz com que você se destaque. Pense em todas as possibilidades, nas oportunidades que você irá conquistar ao saber outra língua! 


Knowing languages ​​not only opens doors to a new world, but also makes you stand out. Think of all the possibilities, the opportunities you will gain from knowing another language!

Minhas dicas:
My tips:

- Pesquise na internet vídeos e cursos sobre o idioma que você deseja aprender e estude um pouco todos os dias, sozinho mesmo. Com o tempo, você verá que conseguirá falar frases básicas e reconhecer várias palavras e expressões, como mágica!

- Quando estiver vendo séries e filmes em casa, faça um esforço e coloque a legenda e o som no idioma que você deseja aprender (ou aperfeiçoar);

- Sempre que ouvir uma música, tente traduzi-la. Se não conseguir, busque a tradução na internet.


- Search the internet for videos and courses about the language you want to learn and study a little every day, alone. You'll see that you'll be able to speak basic phrases and recognize many words and phrases like magic!

- When watching series and movies at home, make an effort and put the caption and sound in the language you want to learn;

- Whenever you hear a song, try to translate it. If you cannot, try to find the translation on the internet.

Links interessantes:
Interesting links:


terça-feira, 21 de maio de 2019

Japan Diaries - A lição que aprendi com o maior terremoto do país

Em 2011, o Japão sofreu o pior terremoto de sua história. Com um saldo de mais de 15 mil mortos, o país se reergueu rapidamente, dando uma lição - mais uma vez - de determinação, organização e respeito. Eu estava lá e aprendi muito com esta experiência e com esse país magnífico


In 2011, Japan suffered the worst earthquake in its history. With more than 15,000 dead, the country quickly re-emerged, giving a lesson - once again - of determination, organization and respect. I was there and learned a lot from this experience and with this magnificent country.

Não é segredo pra ninguém que eu amo o Japão desde pequena! Sou apaixonada por esse país de natureza exuberante, repleto de educação, respeito e empatia.
Visitei o Japão três vezes e, em uma dessas vezes, eu morei um ano no país do Sol nascente (em 2011). Neste mesmo ano, o Japão sofreu o pior terremoto de toda a sua existência - o sismo e tsunami de Tohoku - também registrado como um dos 5 maiores do mundo, de magnitude 9,1. 
Nunca mais esquecerei este dia e também tudo o aprendi com ele: o calendário marcava 11 de março, o relógio 14:56 (hora de Tokyo). Eu estava em casa, terminando meu almoço e curtindo meu dia de folga, quando tudo começou a tremer. 
Eu, fisicamente, nada sofri; já a casa onde eu morava teve rachaduras, algumas telhas saíram do lugar e todos os objetos dos cômodos ficaram espalhados pelo chão. Minha mãe, aqui no Brasil, quase teve um ataque cardíaco mas, com o rápido restabelecimento da energia elétrica e da internet (em pouco mais de 24 horas já tínhamos de volta o contato com o mundo), pude avisá-la de que eu estava bem.

Infelizmente, o Japão havia sofrido danos muito severos... Com o terremoto e o consequente tsunami que varreu uma parte da costa japonesa, rodovias e linhas férreas foram danificadas, barragens se romperam e, em Fukushima, devido a uma explosão em um dos reatores nucleares, a notícia que circulava era de que estava vazando radiação em níveis preocupantes. Como se não bastasse, quase 16 mil pessoas perderam suas vidas.
Nos dias seguintes à tragédia, além da orientação de não sairmos de casa sem máscaras, começava a faltar produtos nas prateleiras dos mercados e combustível nos postos...


It's no secret to anyone that I've loved Japan since childhood! I am in love with this country of exuberant nature, full of education, respect and empathy. I visited Japan three times and in one of those times I spent one year in the country of the rising sun (in 2011). In that same year, Japan suffered the worst earthquake in its entire existence - the Tohoku earthquake and tsunami - also recorded as one of the world's 5 largest, of magnitude 9.1. I will never forget this day and also learned everything from it: the calendar marked March 11, the clock 14:56 (Tokyo time). I was at home, finishing my lunch and enjoying my day off, when everything started to shake.
I, physically, suffered nothing; the house where I lived had cracks, some tiles left the place and all the objects in the rooms were scattered on the floor. My mother, here in Brazil, almost had a heart attack but with the rapid restoration of electricity and the internet (in a little more than 24 hours we had contact with the world back), I was able to warn her that I was good.
Unfortunately, Japan had suffered severe damage... With the earthquake and the ensuing tsunami that swept a part of the Japanese coastline, roads and railways were damaged, dams broke and in Fukushima due to an explosion in one of the reactors the circulating news was that radiation was leaking to worrying levels. As if that were not enough, nearly 16,000 people lost their lives.
In the days following the tragedy, in addition to the orientation of not leaving the house without masks, there was a lack of products on the market shelves and fuel at the stations.
As filas imensas que se formavam nos postos de combustíveis em consequência da tragédia

The huge queues that formed at the gas stations as a result of the tragedy

Narita, o principal aeroporto internacional, prestou uma das mais belas homenagens que já vi. Placas de apoio ao país foram espalhadas pelo local e folhetos foram distribuídos (fotos abaixo):

Narita, the main international airport, has given one of the most beautiful honors I have ever seen. Plates of support to the country were scattered around the site and leaflets were distributed (photos below):



E então, dia após dia, de uma maneira rápida, responsável e positiva, o Japão foi se recuperando. E foi justamente ao longo desse processo de recuperação que aprendi uma das maiores lições da minha vida: a queda pode ser inevitável, mas, continuar no chão, é uma escolha só sua. 
Aliado a essa força de vontade incrível do país de se levantar cada vez que sofre uma queda, temos a união da população, o respeito dos políticos pela sua pátria, a tecnologia de ponta e o trabalho diário, bem-feito, incansável e ininterrupto. 
O Japão olha sempre para a frente, mira no futuro. Aprendeu com os samurais a enfrentar com coragem as batalhas que chegam, colocando sempre em prática a filosofia de seus guerreiros ancestrais, a de que a vida é limitada, mas o nome e a honra podem durar para sempre...

Admiro muito essa garra do país e de seu povo, de continuar sempre lutando. Os terremotos lá acontecem quase que diariamente - são fracos, não causam danos. Mas as pessoas que "fazem" a nação nipônica não se deixam abalar pelos movimentos constantes das placas tectônicas e se mantêm firme na batalha diária de deixar o país sempre de pé, dessa maneira que o mundo tanto aplaude! Ganbatte, Nihon! 
(*Ganbatte é uma expressão japonesa que significa "não desista, aguente firme" ou ainda "faça o seu melhor"! *Nihon = Japão).


And then, day after day, in a quick, responsible and positive way, Japan was recovering. And it was precisely during this recovery that I learned one of the greatest lessons of my life: Falling may be inevitable, but staying on the ground is a choice of your own.
Coupled with this incredible strength of the country to rise every time it falls, we have the union of the population, the respect of politicians for their country, the latest technology and daily work, well done, tireless and uninterrupted.
Japan always looks forward, looks ahead. He learned from the samurai to courageously face the coming battles, always putting into practice the philosophy of his ancestral warriors, that life is limited, but the name and honor can last forever.
I really admire this determination of the country and its people, of always fighting. Earthquakes happen there almost daily - but they are weak, do no harm. But the people who "make" the country do not let themselves be shaken by the constant movements of the tectonic plates, and stand firm in the daily battle to leave the country always standing, in a way that the world applauds so much! Ganbatte, Nihon! (* Ganbatte is a Japanese term meaning "do not give up, hold on" or "do your best"! * Nihon = Japan).
Com o Monte Fuji ao fundo, carinhosamente chamado de Fujisan pelos japas (vocês sabiam que ele é um vulcão?)

With Mount Fuji in the background, affectionately called Fujisan by the Japanese (did you know that Fujisan is a volcano?)

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Meus 3 produtos favoritos para cuidar da pele

Se você tivesse que escolher somente 3 produtos para usar a vida inteira, quais seriam os selecionados? 

If you had to choose only 3 products to use a lifetime, what would be the ones selected?

Ao longo dos anos e dos tratamentos que deram errado, você aprende a cuidar cada vez melhor de sua pele. Quais produtos dão certo e quais você precisa abolir de seu necessáire. 
Eu já usei cremes que me deram acne, demaquilantes que me deixaram com a pele ardendo e outros que não tiveram efeito algum. 
Entretanto, alguns produtos acabam dando super certo e cumprem os papéis que esperávamos: corrigem a pele e a deixam mais bonita e tratada. Quer saber qual o meu trio queridinho para o dia a dia? Continue lendo o post!


Over the years and the treatments that went wrong, you learn to take better care of your skin. Which products work well and which ones do you need to abolish from your necessáire?
I already used creams that gave me acne, makeup removers that left me with burning skin and others that had no effect whatsoever. However, some products end up giving super right and fulfilling the roles that we expected: they correct the skin and make it more beautiful and treated. Want to know which is my beloved trio for everyday life? Continue reading the post!

1- O fundamental!
    The fundamental!

Vocês já estão carecas de saber que tenho a pele oleosa e que sofro muito com isso! Devido a esse probleminha, preciso utilizar alguns produtos para tentar amenizar ou controlar o excesso de brilho. Por isso, um deles eu não posso viver sem, de jeito nenhum! Levo para todos os lugares e uso todos os dias. Ele é o...


You already know that I have oily skin and that I suffer a lot with it! Due to this problem, I need to use some products to try to soften or control the excess of brightness. So, one of them I cannot live without, no way! I take it everywhere and use it every day. It is the...

... demaquilante! Não vivo sem! Limpa todos os resíduos de make e de poluição e ainda acalma a pele e ameniza a aparência dos poros abertos. 


... makeup remover! I cannot live without! Cleans all the make and pollution and still calms the skin and softens the appearance of open pores.

2- O tratamento
    The treatment

Depois do demaquilante, inicio o tratamento da pele. Confesso que às vezes uso outros tipos, mas ter um produto para tratar a pele do rosto com vitamina C é fundamental! Se você ainda não tem um para chamar de seu, está na hora de se informar e buscar o que mais combina com seu tipo de pele. Ele é o...


After the make-up, I start my skin treatment. I confess that sometimes I use other types, but having a product to treat face skin with vitamin C is crucial! If you still don't have one to call your own, it's time to find out what else suits your skin type. It is the...

... hidratante! 
Os benefícios de ter um hidratante com vitamina C são vários: essa vitamina ajuda a atenuar rugas e combate os sinais de envelhecimento, além de melhorar a textura e a aparência da pele. 


... moisturizer!
The benefits of having a moisturizer with vitamin C are several: this vitamin helps to mitigate wrinkles and combat the signs of aging, as well as improving the texture and appearance of the skin.

3- O finalizador
    The finisher

Outro produto que não vivo sem! Como moro em uma cidade super quente, uso direto! No verão, guardo na geladeira para um resultado mais refrescante. Passo até nos cabelos, para dar brilho....


Another product I can't live without! As I live in a super hot city, I use direct! In the summer, I keep it in the refrigerator for a more refreshing result. I even spray it on my hair to give it a shine...
... é a água termal!
Calmante e rica em antioxidantes, ajuda a tratar a pele e a uniformizá-la. Uso de várias marcas, pois gosto de testar os diferentes tipos, mas não consigo ficar sem! 


...is the thermal water!
Soothing and rich in antioxidants, it helps to treat the skin. I use several brands, because I like to test the different types, but I cannot be without it!

E você? Consegue separar quais são seus 3 produtos favoritos no cuidado diário com a pele?

And you? Can you separate which are your 3 favorite products in daily skin care?

terça-feira, 7 de maio de 2019

5 coisas que aprendi depois dos 30

A vida começa aos 30. Será mesmo? Neste post compartilho com vocês o que mudou em minha cabeça nesta longa estrada que define os 30 anos - agora que já estou perto dos 40!


Life starts at 30. Is it really? In this post I share with you what has changed in my head on this long road that defines the 30 years - now that I am already close to 40!

Completar 30 anos é como um rito de passagem. É algo que, enquanto você está nos 20 e poucos, você não quer que aconteça. Mas, inevitavelmente você faz 29 e, logo depois, já é chamada de balzaquiana (expressão originada após a publicação do romance "A mulher de trinta anos", do escritor francês Honoré de Balzac).

To complete 30 years is like a rite of passage. It's something that, while you're in the 20's, you don't want it to happen. But inevitably you do 29, and soon after, it is already called "balzaquiana" (expression originated after the publication of the novel "The woman of thirty years", of the French writer Honoré de Balzac).

Todo mundo diz que, ao completar 30 anos, nossa cabeça muda e entramos - de vez - no mundo adulto. E é verdade!
É um novo ciclo de vida que altera diversas opiniões que antes defendíamos, que nos faz ter uma visão mais ampla de todas as situações, de pensar mil vezes antes de agir, de ter (muito) mais cautela. E não é logo no início, não! Essas mudanças vão ocorrendo aos poucos, ao longo da jornada dos 30, rumo aos 40. 
Eu, particularmente, senti uma grande mudança e compartilho as 5 coisas que aprendi depois que me tornei balzaquiana:


Everybody says that when we turn 30, our head changes and we enter - for once - into the adult world. And it's true!
It's a new cycle of life that changes several opinions that we previously defended, which gives us a broader view of all situations, to think a thousand times before acting, to have (much) more caution. And it's not just at the beginning, no! These changes are occurring gradually, throughout the journey of the 30, towards the 40. I, in particular, felt a great change and shared the 5 things I learned after I became a "balzaquiana":

1. Ser mais paciente e aceitar as diferenças
Sempre fui muito tolerante e centrada. Mas, após os 30, fiquei ainda mais paciente perante diversas situações. Você compreende que não pode mudar tudo, nem deixar o mundo da maneira como você gostaria. Então, aprende a lidar com as diferenças e até acaba crescendo muito com isso. O diferente é tão legal! Aprenda a viver com ele.


1. Be more patient and accept the differences
I've always been very tolerant and focused. But after 30, I became even more patient with different situations. You learn that you cannot change everything, or leave the world the way you would like it. So you learn to deal with differences and even grow a lot with it. The different is so cool! Learn to live with it.

2. Ser cautelosa
Quando se tem 20 e poucos, de uma forma geral, somos um pouco imaturos para lidar com as questões do futuro. Não costumamos nos preocupar muito com o amanhã, queremos viver o presente. Concordo com o Renato quando ele diz que "é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã" mas, quando você tem 30 e poucos, você começa a pensar MUITO mais no amanhã, até mais que no hoje. E, dessa maneira, você acaba se tornando muito mais cuidadoso ao tomar as decisões, pois sabe que terá sim que encarar o amanhã - e também o depois de amanhã. 


2. Be cautious
When we are 20, in general, we are a bit immature to deal with the issues of the future. We don't usually worry about tomorrow, we want to live the present. I agree with Renato Russo (a Brazilian singer) when he says that "you have to love people like there's no tomorrow", but when you're 30, you start thinking a lot more about tomorrow, even more than today. And, in this way, you become much more careful in making decisions, because you know that you will have to face tomorrow and the day after tomorrow.

3. Aceitar-se por completo
Aos 20 e poucos eu parecia estar um pouco perdida. Mudava de opinião quando encontrava uma amiga que pensava diferente, tinha vergonha do meu pai me esperando na saída do curso, vergonha de usar óculos, de ser alta, disso e daquilo. Hoje, aos 37, me aceito muito bem do jeito que sou, com minhas opiniões - algumas até bem polêmicas - e morro de vontade de voltar no tempo, só para ver meu pai novamente me esperando na porta do curso de Inglês...


3. To accept oneself completely
At the age of 20 I seemed to be a bit lost. I changed my mind when I met a friend who thought differently, I was ashamed of my father to pick me up in the little school, ashamed to wear glasses, to be tall, this and that. Today, at 37, I accept myself very well the way I am, with my opinions - some even very controversial - and I die of wanting to go back in time just to see my father again, waiting for me at the door of the English course...

4. Mais sabedoria
Todo mundo tem experiências e um passado para se orgulhar ou ter pavor. Só não tem um passado quem nunca viveu. Ao ingressar na jornada dos 30, consequentemente temos mais experiência e mais certeza do que queremos. Já não cometemos os mesmos erros e paramos para pensar por um tempo mais longo diante de algumas situações. Resumindo, não somos mais tão inconsequentes. 
Dessa forma, as decisões são tomadas com muito mais parcimônia e as chances de acertar são bem maiores, enquanto as de se arrepender diminuem drasticamente (Ufa!).


4. More wisdom
Everyone has experiences and a past to be proud of or to be terrified of. Just don't have a past who never lived. As we enter the journey of 30, we have more experience and more certainty of what we want. We no longer make the same mistakes and stop to think for a longer time in the face of some situations. In short, we are no longer so inconsequential.
In this way, decisions are made much more sparingly and the chances of success are much greater, while those of repenting decrease dramatically (Ufa!).

5. Mais segurança e amor próprio
Aos 20 e poucos queremos ser aceitos e tentamos nos encaixar em lugares dos quais, algumas vezes, não fazemos parte. Aos 30 e poucos, temos consciência de quem somos e de nossas personalidades e não nos deixamos influenciar facilmente. Somos mais seguros, sabemos nos respeitar e nos amar de uma maneira mais fiel. Aprendemos a fazer escolhas mais assertivas e a colocar menos problemas em nossas rotinas, pois sabemos o que é melhor para nós.


5. More security and self love
At 20 and a few we want to be accepted and try to fit into places we are sometimes not part of. At 30, we are aware of who we are and our personalities and we do not allow ourselves to be easily influenced. We are safer, we know how to respect ourselves and love us more faithfully. We have learned to make better choices and to put less problems into our routines.

E você, o que aprendeu com a chegada dos 30?
(Para ler mais posts como esse, clique aqui e aqui.)
And you, what did you learn with the 30's? Leave me a message!